terça-feira, 13 de maio de 2008

Não sabia que era seu filho.

Estavam dois homens a conversar junto ao posto de abastecimento de combustível, em Arco de Baúlhe, quando nisto vêem um automóvel a grande velocidade passando em frente deles, ao que um exclamou:

- Olha! olha! Que filho da Pª.

O colega que estava na conversa com ele, reconheceu o condutor e disse:

- Olha que é o teu filho!

O pai querendo emendar o que tinha pronunciado, proferiu:

- Ah! - Mas conduz bem!

6 comentários:

Antero disse...

Antes demais venho de novo felicitar mais uma vez o blog...

Apenas tenho duvidas quanto a qestões como "como há tanta informação para estas peripécias?", e "o que é que estas acrescentam ao foro cognitivo da sociedade?"

Penso que este blog apenas vive para denegrir a imagem da vila de arco de baúlhe, apesar de um habitante dessa mesma terra ser o blogger...

Acho que o senhor reporter também deveria começar a divulgar uma lista das pessoas que ao domingo vão á missa. Acho que também deve ser interessante!

Tenho dito...

Anónimo disse...

Nem todos os arcoenses são assim, a maioria deles não são nem brejeiros nem broncos como parece intenção estar a demonstrar.
Primeiro os postes no meio do estacionamento, depois a Operação Stop caseira e agora a bomba de gasolina.
Isto vai continuar assim?

Repórter Amador disse...

O post só tem uma intenção que é revelar o lado cómico das situações, que acho bastante piada às mesmas e mais, são verídicas, por isso quando se diz a verdade não se está a denegrir ninguém, embora por vezes sejam “verdades inconvenientes”
Não está referenciado que as pessoas intervenientes do post são do Arco de Baúlhe embora se passasse lá.
Já agora, porque é que dizem que os posts escritos têm a ver com as pessoas do Arco? Os palcos dessas passagens foram realmente no Arco mas não vejo de onde são essas pessoas! Vocês sabem?
Estou de Acordo com o anónimo das 17:53 quando diz que os arcoenses não são assim, embora, e volto a dizer, que não está referenciado que são pessoas arcoenses) Mas onde é que se vê que estou a pô-los todos na mesma balança?
A reportagem sobre os postes em frente ao estacionamento tenho 100% de razão, não é assim que se trabalha. Até já pensei em mandar essa foto para um programa de televisão (Nós por Cá) e teria sucesso certamente.
Gostava que fosse apontada uma questão relevante sobre como é que este blog vive para denegrir o povo arcoense? Certamente não lêem alguns blogs que existem em Cabeceiras. Mas esses digam bem ou mal parece que tem apoio das trampas que dizem.
Sr. Antero, não penso que seja assim tanta informação, penso que conhece mais o grau aumentativo, mas vejo que além de ser uma pessoa com estudos, não consegue ver o lado engraçado dos posts.
Este blog não pode ir ao encontro do agrado de toda a gente, e não penso publicar somente situações brilhantes da intelectualidade dos cidadãos, penso sim, que há coisas que se devem reprovar e fazer-se ouvir.
Todos os leitores que vem a este blog vêm de sua livre e espontânea vontade!

Sem mais

Carlos disse...

Tenho a dizer que o Repórter tem razão... se formos pelo que dizem os dois comentadores acima, não se pode falar nada de mau, ora se assim é porque é que todos os dias aparecem noticias a falar desta e daqula pessoa de uma determinada terra... sendo assim como os senhores dizem essas noticias estão a denegrir as pessoas e as terras de onde se passa a situação.
Então não se deve falar "mal" da situação que o país atravessa porque vamos denegrir a imagem de Portugal.
Vamos falar bem dos assassinos e dos gatunos que existem por aí fora para não denegrir a sua imagem e a terra de onde estes vivem, coitadinhos deles!

Dou o meu total apoio ao Repórter está a trabalhar bem.

Armindo disse...

Na verdade, ninguém sabia que as situações cómicas era passadas no Arco de Baúlhe. Graças aos seus luminosos esclarecimentos ficámos todos a saber que aconteceram no Arco. Claro, só podia vir mesmo de um repórter amador.
Se o senhor acha bastante piada um pai chamar filho da puta ao filho que conduz como um cabeceirense, então devo dizer-lhe que realmente isso é coisa de ter um piadão daqueles do Nós Por Cá. Nunca pensou concorrer com estas piadinhas sobre os arcoenses?
É que ninguém sabia que era com os arcoenses que estava a mangar, ninguém desconfiava mas o senhor fez questão de esclarecer.
Como se fôssemos todos parolos a ponto de rir com ordinarices.
O senhor diz muito bem que este blog não pode ir ao encontro do agrado de toda a gente que não pensa publicar somente situações brilhantes da intelectualidade dos cidadãos.
Perante esta insinuação pirosa e cheia de ironia deixe-me dizer-lhe duas coisinhas.
Primeira coisa: aprenda a falar português porque eu, sinceramente, não quero ir ao encontro do agrado de ninguém porque poderia ser autoado por um GNR de Cabeceiras.
Segunda coisa: guarde a intelectualidade de cidadão para si, cabeceirense, e deixe de gozar com quem podia ser seu pai ou sua mãe.

Armando

Anónimo disse...

Não se percebe nada, o post tem sim um lado cómico que é a emenda que o pai fez ao dizer "ah! mas conduz bem" o sr. armindo pensa que as pessoas acharam piada foi à expressão do pai ao chamar nomes ao filho, claro está que a parte cómica não é essa, mas sim a emenda que fez ao saber que era seu filho, se fosse o sr. armindo(psedónimo usado)levava com essa expressão e não haveria sequer emenda.

vem sim é tratar mal a pessoa que escreveu o post dizendo para aprender a falar português, insinuação pirosa e cheia de ironia, você é que está a por agravantes na situação até dá para entender que é o mesmo comentador acima só que quer dar a entender outra coisa.

Dá para perceber que quem disse que eram cidadãos arcoenses foram os primeiros a comentar porque se referem a eles, ao que ele responde que o palco dos acontecimentos foram no Arco não que eram arcoenses...

No minimo você foi mal educado e pensa que é mais educado, até dá impressão que conhece a história mas que mexe consigo! se calhar é da familia!