quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Arco de Baúlhe – homem alvejado a tiro de caçadeira

António Magalhães (mais conhecido por Toneco) negociante de madeiras, residente na freguesia da Faia, foi alvejado com tiros de caçadeira em Arco de Baúlhe, junto à Clínica do Pneu.
Segundo fontes locais, tudo se terá passado na terça-feira dia 20 entre as 21:00 e as 22:00 horas quando António, com uma motosserra, cortava umas pontas de troncos em madeira para que se adaptassem ao camião que a iria transportar, quando o presumível autor dos disparos, um homem com antecedentes criminais e ali residente perto do local, ficou incomodado com o barulho da motosserra, o que originou troca de provocações entre os dois homens, causando um desfecho com consequências ainda imprevisíveis, já que a vítima está nos cuidados intensivos do hospital S.ª da Oliveira em Guimarães, com ferimentos no sobrolho e no tórax.
Segundo informações recolhidas pelo Repórter no local, o presumível autor dos disparos reside no Lugar das Barreiras e trabalha como cantoneiro (motorista de um “carro-limpa-valetas”) ao serviço do Município de Cabeceiras de Basto e este é mais um acto tresloucado somado aqueles que o homem vai somando no seu currículo criminal, tendo já assassinado um homem há uns anos atrás, junto do café STOP na Vila de Arco de Baúlhe.

5 comentários:

Maximus disse...

Ao que parece, o autor dos disparos ainda nem sequer foi confrontado pelas autoridades! Não querendo valorizar a vítima como pessoa, mas que sociedade é esta? Alguma anarquia ou Western?
Não é assim que teremos uma sociedade regida por valores colectivos e individuais.

Repórter Amador disse...

sim, da minha parte , tanto a vitima como o autor dos disparos como pessoas, não me merecem "elogios". Penso que quem actua desta forma na sociedade são os primeiros a não acreditarem na justiça, se fossem punidos severamente quando praticam o primeiro crime provavelmente pensariam melhor antes de cometerem outros.

Segundo informação que disponho, e foi-me dito por um familiar do autor dos disparos, que já havia um registo feito pelas autoridades.
Mais, queriam dialogar com a vitima no sentido dele não seguir com o processo visto o "atirador" ter uns antecedentes que o iriam penalizar bastante na justiça.

Eu pessoamente não tenho grande fé na justiça, mais vale um mentiroso bem falante e bem vestido, do que meia duzia mal vestidos e sem capacidade oral, a falar verdade.
Enfim é o que se vai vendo...

Maximus disse...

Até a própria Autoridade, faz a "panelinha" para que tudo seja abafado de forma a que todo o departamento juridico e legal de Cabeceiras não tenha mais um caso para resolver.
Tal se venha a comprovar, o que há a fazer é ter mais cuidado e olhar bem para cima quando se passar na 'fonte do alambique' e 'barreiras'.

CARLOS PINTO MACHADO disse...

Caríssimo Repórter Amador,

Por acaso dispõe de fotos da CASA DO ARCO e da CASA DA RICHEIRA no Arco do Baúlhe ?

Sou descendente das familias que noutros tempos foram proprietárias das mencionadas casas e tenho uma curiosidade enorme em confirmar se ainda existem e de ver como são.

Será que me pode ajudar ?

Antecipadamente Grato,

M.Cumpts

CARLOS PINTO MACHADO
carlospintomachado.pt@gmail.com

Repórter Amador disse...

Caro Carlos Machado,

Terei muito gosto em dar-lhe a informação que pretende, contudo desejava saber mais concretamente onde se situa exactamente essas casas. Posteriormente poderei publicar fotos que terei o prazer de as publicar para você.
Aguardo pela descrição mais permonorizada dos locais-
sem mais,

--
Cumprimentos